segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Vontades e Oportunidades

Queria tomar um café. Tomar café é muito simples, basta bebê-lo. Mas há muitas coisas por trás de um simples café. Para começar, é preciso ter algumas coisas à mão (como o café e o filtro, por exemplo). Tendo o que é preciso, precisamos aquecer a água, mas sem fervê-la. É que a água fervendo pode queimar o café e o gosto fica ruim. O próximo passo é passar o café. É preciso ter um pouco de paciência. Se você não possuir uma cafeteira automática (e a minha quebrou), tem que ir colocando a água aos poucos, até a medida certa. De qualquer forma, vai levar alguns minutos para que ele fique pronto.
Bem, eu quero tomar um café. A vontade existe. Os insumos estão todos aqui. Por que, então, não fazê-lo? Ah, é que eu estou com um pouco de mal estar, daqueles que fazem a gente ficar deitado no sofá sem querer fazer nada. E com um pouco de dor de cabeça, também.
Mas coisas que parecem simples podem nos dizer muitas coisas. E pensei que ser feliz é como tomar um café. Você precisa ter a vontade, mas ela por si só não basta. Tem que levantar do sofá, pegar aquilo que você tem e transformar em outra coisa. Precisa fazer o pó virar café pra tomar. A coisa é bem simples; o processo, porém, pode complicar um pouco. A água muito quente, insuficiente ou em demasia, pode comprometer tudo, e o café não vai ficar bom. Não tem receita certa. Eu, pelo menos, tenho a receita para o café de que eu gosto. Se bem que não é receita, é mais um feeling. Vou fazendo a olho...
E qual a receita para ser feliz? Ah, caros amigos, é muito simples, mas eu não saberia dizer - vou fazendo meio que no feeling. Só sei que, primeiro, é preciso levantar do sofá.
Agora me dêem licença, pois a minha água está no ponto.
Aceita uma xícara?

[Ps: Não encontrei os créditos devidos para a imagem]