domingo, 29 de agosto de 2010

Significados

As coisas não são aquilo que parecem, e não parecem ser aquilo que são. E percebo que as coisas possuem muitos significados diferentes, variando de acordo com o tempo e o clima. Pode ser um disco, um filme, um livro, ou um gesto. Está tudo ali, e não está ao mesmo tempo. Existindo sem existir, por assim dizer. Não, eu não estou viajando.
Mentira, estou sim. E faz tempo que saí de mim. Faz tempo que a imagem no espelho não me reflete mais. Faz tempo que vivi.
E que perdi das coisas o medo também. Agora, não há mais medo. Nem da vida, nem da morte. Não há mais passado nem futuro, apenas um dia de cada vez. E os dias podem ser nebulosos e fumacentos, mas nem me importo. E o furacão arrebenta as coisas ao meu redor sem ter poder sobre mim. Mas ele tenta, ele sopra, sopra, sopra... e a porta continua ali, a despeito de todas as paredes que já despencaram.
Espero sem ter esperança. Luto com os punhos abaixados, e sem erguer as armas. Vivo sem respirar, ou melhor, sem inspirar. Sem inspiração...
Mas o que isso tudo quer dizer, afinal?
Nada. Isso não significa absolutamente nada...