quinta-feira, 29 de julho de 2010

Veja!

Olhe nos meus olhos. Diga-me: o que você vê? Que te parece olhar no fundo de minha alma? Espero que você consiga perceber-me. Espero conseguir expressar-me assim, já que não tenho palavras. Já que palavras não passam de palavras. Não quero que você leia este texto. Não quero que você ouça o que tenho a dizer. Só o que desejo é que você possa olhar-me nos olhos e perceber, e saber, e sentir, e ver! Ver de que sou feito e como fui modelado. Mas, por favor, ao entrar seja gentil e não destrua nada, pois levei muito tempo arrumando umas coisas e consertando outras.
Ah, pensando bem, nem se preocupe, a bagunça por aqui é algo normal. No entanto, se olhar bem à sua volta, vai entender que há muito mais espaço aqui do que te parecia no início...