quinta-feira, 8 de julho de 2010

Dicas de Auto Ajuda (continuação)

Ou seria 'autoajuda'? Ah, danem-se as regras e as novas regras de português, aqui quem manda sou eu!
Primeira parte mais abaixo ou aqui!


Dica 4: Se está difícil viver, sobreviva: Tem dias que ficamos meio pra baixo, e parece que o mundo cai sobre nossas cabeças. (Se você quiser se matar, leia a dica nº 1, se não; siga.) Então esses dias começam a se repetir, e é o trabalho, a vida afetiva, os amigos, a família; nada parece que vai bem. Bom, para os tempos difíceis, o que temos a fazer é sobreviver! A sabedoria popular está certa ao afirmar que o tempo é um santo remédio. As tristezas de hoje podem se tornar a alegria do amanhã, mesmo que esse amanhã demore um pouco a chegar. Não se desespere se isso acontecer! Algo que você pode fazer é usar a tristeza temporária a seu favor. Para isso, escreva textos melancólicos e letras de música à lá Renato Russo em Vento no Litoral.  Assim a sua merda pode virar moda! Ou seja, curta a sua melancolia até não aguentar mais, então ela ficará tão enjoativa que vai fugir de você, e aí é só felicidade! Até a próxima noite escura...

Dica 5: Não envelheça: Tem muita gente ficando velha precocemente. Ficar velho é diferente de ficar idoso. Há idosos que são jovens (é quase o meu caso) e jovens que são velhos. Um velho reclama de tudo, critica tudo com ferocidade e não consegue perceber o lado bom das mudanças. Veja o exemplo do Orkut: quando mudaram os recados, muitos velhos se manifestaram contra, sem ao menos entender o que havia de bom ou ruim na mudança, apenas fizeram como aquele velho rabugento que não conhece direito, mas não gosta assim mesmo. Ser jovem é não ter medo de assumir alguns riscos. É procurar pelo que há de bom nas coisas, é experimentar! E, se for preciso criticar, será para o melhor, não para o pior. Quem é velho não é capaz de mudar, só de criticar. Quem é jovem, procura aproveitar, antes de repudiar. Amadurecer, porém, é algo importante e louvável; mas, por favor, não se torne velho antes do tempo...

Dica 6: A verdade não existe: A verdade não passa de um ponto de vista propriamente seu, e de mais ninguém. Pedro vê o muro e diz que ele é vermelho; João diz que é verde. Ambos brigarão por defenderem cada um suas convicções. Só que um não sabe que o outro é daltônico. O mesmo muro, mas pontos de vista diferentes: é só o que temos na vida. Não brigue por defender uma verdade, apenas exponha o modo como você vê as coisas. O muro vermelho? Puxa, amigo, mas eu posso te jurar que ele me parece verde quando o vejo! Te prometo que vou tentar prestar mais atenção para ver o detalhe que me escapou... Outro detalhe que pode mudar ainda mais a estória é se cada um deles estiver de uma lado diferente do muro. E aí? Ambos estarão sempre certos, segundo seus pontos de vista. Simples, não?

Ps¹: São dicas baseadas em minha claudicante e parcial sabedoria de vida. Você já sabia disso, não é mesmo?
Ps²: Se você achou isso aqui ruim, fuja enquanto há tempo, virão mais posts desse naipe aí...
Ps³: Se você se enquadra no que escrevi no Ps², o que ainda está fazendo aqui? Vai (re)ler um livro do Paulo Coelho!!!
Ps²³²¹³: A imagem do muro dá um belo papel de parede...