quinta-feira, 22 de abril de 2010

O Dia da Terra

Sabe o que eu acho sobre o dia da Terra? Irônico. Não acho o dia da Terra irônico, acho irônico a Terra ter um ‘dia’ a ser celebrado (ou será que uma coisa é igual à outra?). Mas penso que talvez isso seja necessário devido ao fato do ser humano ser tão descerebrado em seus tratos com ela. É como ter um ‘dia da mulher’, que também considero uma coisa meio machista. Afinal, na minha visão de mundo, todos os dias são de homens, de mulheres e da Terra também. Não faríamos mais que nossa mera obrigação como seres humanos se nos tratássemos com respeito, igualdade, e se cuidássemos do lugar onde vivemos. A Terra não precisa de nós; nós é que precisamos dela. A Terra pode viver sem nós, mas a recíproca não é verdadeira. Enfim, não vejo este dia de outra forma senão como o dia da celebração de nossa estupidez e de nosso fracasso como seres humanos. Mas não é culpa nossa, porque burrice é algo hereditário. Ao menos nesse caso, para mim é. Trabalhamos tantos tipos de inteligência, e temos tantos gênios em muitas delas. Porém, quando se trata de inteligência, ambiental somos um fracasso perfeito, e um completo fracasso. E, caso haja alguém incapaz de entender isso, minha redundância quando faço essas afirmações é puramente intencional. Mais uma parte da ironia.
Por que tantas luzes acesas? Por que tantos carros ligados? Por que tantos aparelhos na tomada? Por que tantas fábricas poluindo? Tantas torneiras abertas por tanto tempo? Tanta água potável em nossas descargas? Tanto lixo em nossas vidas? Ah... são tantos os porquês...
São equações complicadas, e ainda sem solução. Minha esperança é de que elas sejam resolvidas a tempo de evitar o fim de nossa existência por aqui. Enquanto isso, que tal comemorar?

FELIZ DIA DA TERRA PRÁ VOCÊ!



Ps: Se a Terra pudesse dizer alguma coisa neste momento, talvez ela dissesse: “Bazzinga!”


Aproveito o dia para relacionar o vídeo que postei há tempos atrás, da visita que eu e minha turma fizemos à Usina de Lixo de Passo Fundo: