segunda-feira, 25 de maio de 2009

...

Quem já leu o que escrevo, deve ter percebido que adoro reticências (apesar de parênteses também serem interessantes)...

É que me parece que quando usamos reticências, há algo mais a dizer que não foi dito, algo escondido que não foi revelado, e é assim que eu me sinto. Por isso das reticências (sem desmerecer os parênteses).

Prefiro deliberar sobre as pontuações da vida a viver um infindável período desconexo. Sabe aquela frase que você não sabe quando vai terminar e que te deixa sem fôlego tentando chegar ao final sem saber se vai ou não ter ar suficiente no pulmão? Pois é bem aí que entra a tal da pontuação.

Triste de quem não sabe usar pontos finais ou vírgulas no lugar certo, porque assim não sabe onde parar; e penso que este texto já deu o que tinha que dar...